Transição para a Economia Verde pode criar 60 milhões novos empregos

Transição para a Economia Verde pode criar 60 milhões novos empregos

A transformação para uma economia mais sustentável poderá gerar entre 15 e 60 milhões de empregos, globalmente, nas próximas duas décadas, de acordo com a OIT (Organização Internacional do Trabalho). A organização diz que a economia verde poderá ajudar a tirar milhões de trabalhadores da pobreza.

Segundo o relatório Green Jobs Initiative, lançado hoje e que dá conta destes números, todos estes números dependem “das políticas que sejam desenvolvidas” pelos Governos.

“O actual modelo de desenvolvimento já provou que é ineficiente e insustentável, não apenas para o ambiente como para as economias e sociedade. Estamos pressionados para investir no caminho do desenvolvimento sustentável, com um plano de políticas coerentes e que coloquem as pessoas e planetas no centro”, explicou o director-geral da OIT, Juan Somavia.

De acordo com o director-executivo do UNEP (Programa de Ambiente das Nações Unidas), Achim Steiner, o estudo realça que há milhões de pessoas que, através da economia verde, podem ultrapassar a pobreza e melhorar a sua vida e das gerações futuras. “É uma mensagem positiva e uma oportunidade para os vários desafios que os nossos líderes têm pela frente, à medida que se prepara para a cimeira Rio+20”.

Pode fazer o download do documento aqui.

O estudo conclui que metade da força trabalhadora global – o equivalente a 1,5 mil milhões de pessoas – será afectada pela transição para a economia verde. Quando esta altura chegar, oito sectores terão um papel central: agricultura, florestas, pescas, energia, sector transformador, reciclagem construção e transporte.

Ao longo dos últimos anos, dezenas de novos empregos têm sido criados devido ao desenvolvimento sustentável. As energias renováveis empregam agora perto de 5 milhões de pessoas, mais do dobro dos empregos criados entre 2006 e 2010. O sector da eficiência energética também está em alta, sobretudo na área da construção, um dos sectores mais afectados pela crise económica.

Só nos Estados Unidos, por outro lado, três milhões de pessoas estão empregadas no sector dos serviços ambientais. Em Espanha, há mais de 500 mil empregos verdes.

Conheça outros dados interessantes do Estudo

Na União Europeia há 14,6 milhões de empregos – directos e indirectos – relacionados com a protecção de biodiversidade e florestas.

Um investimento anual de €24,1 mil milhões (R$60 mil milhões) para reduzir a desflorestação e degradação das florestas – um investimento que está previsto, aliás – poderá criar 8 milhões de novos empregos a tempo inteiro nos países em desenvolvimento.

Experiências na Colômbia ou Brasil revelaram que a legalização e organização de 15 a 20 milhões de catadores pode ter um impacto económico, ambiental e social muito significativo.

Na Alemanha, o programa de renovação dos edifícios, por causa da eficiência energética, mobilizou €100 mil milhões (R$248 mil milhões) de investimentos e criou 300 mil empregos directos por ano.

As mulheres podem ser as maiores beneficiárias de uma economia verde e mais inclusiva, uma vez que terão um melhor acesso a empregos, por exemplo nas energias renováveis. Pode contar também com maiores salários, em particular na agricultura.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores