Serra Leoa: Mudança na legislação melhora a reputação dos condutores de mototáxis

Serra Leoa: Mudança na legislação melhora a reputação dos condutores de mototáxis

O número de pessoas na Serra Leoa que conduz mototáxis como forma de ganhar a vida está a aumentar. O seu trabalho é transportar os clientes pelas estradas das cidades, quase sempre congestionadas. Estima-se que, em todo o país, existam cerca de 189 mil condutores – conhecidos como Okada, que significa mota barata.

Estes condutores prestam um serviço útil, mas a atitude do público em geral e da polícia em particular é, na maior parte das vezes, negativa. Eles são vistos como preguiçosos e a sua condução, às vezes imprudente, é considerada uma ameaça.

A organização Centro de Coordenação das Actividades Juvenis (CCYA) está a procurar formas de melhorar a relação entre estes pilotos e a sociedade. A União dos Condutores de Mototáxis também se envolveu na mediação entre pilotos e polícias, com o objectivo de melhorar as condições para todos e reduzir o número de acidentes nas movimentadas ruas da capital, Freetown.

Esta colaboração tem implicado uma mudança na forma de andar de bicicleta. O primeiro passo foi a inclusão da actividade numa recente alteração da Lei de Transportes e Trânsito, que inclui normas que regem o comportamento dos pilotos.

Com esta actividade incluída na economia formal do país, torna-se possível ajustar os comportamentos dos condutores com o das autoridades e cimentar o seu papel de prestadores de serviços públicos. Este é um progresso no sentido de integrar os pilotos de mototáxis na comunidade, com todos os direitos e deveres que daí advêm.

A CCYA tem organizado reuniões com a polícia, jornalistas e agências como a Autoridade de Transportes Rodoviários da Serra Leoa, o que ajuda a reabilitar a credibilidade destes profissionais.

Um dos problemas que requer ainda solução é a indisciplina – muitos pilotos negligenciam o uso do capacete e casacos reflectores, por exemplo, e continuam a ignorar os novos regulamentos que os afectam.

A CCYA está a planear uma campanha informativa para convencer os pilotos a fazer parte do seu sindicato. Os incentivos para a adesão passarão pela realização de cursos de formação em business skills e pelo apoio aos pilotos que querem continuar os seus estudos, segundo o All Africa.

Espera-se que estes profissionais consigam encarar no futuro a União dos Condutores de Mototáxis como uma necessidade colectiva e não apenas como uma fonte de benefícios individuais.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores