Panasonic oferece 100 mil lanternas solares aos países sem electricidade

A Panasonic vai comemorar o seu 100º aniversário doando 100 mil lanternas solares. Os dispositivos destinam-se a ajudar algumas das mil milhões de pessoas sem acesso a electricidade nos países em desenvolvimento da Ásia e de África.

A empresa já doou 3.000 lanternas a organizações sem fins lucrativos em Myanmar e 5.000 lanternas na Índia, ao longo dos últimos dois meses. Espera-se que um campo de refugiados no Quénia receba também 2.000 lanternas nas próximas semanas.

Mais de mil milhões de pessoas que vivem nos países em desenvolvimento por todo o mundo não têm acesso a electricidade. Muitas dependem de perigosas lâmpadas de querosene como forma de iluminação. Estes dispositivos emitem gases perigosos e geram 190 milhões de toneladas métricas de dióxido de carbono por ano.

As lanternas solares podem realmente ter um impacto muito positivo na vida das comunidades mais pobres e para pessoas que vivem em áreas rurais remotas. Esta é uma solução de preço acessível, fonte de energia não tóxica, que reduz o consumo de combustíveis fósseis e a poluição atmosférica.

Segundo o Inhabitat, o governo indiano já investiu quase €8 milhões (R$ 20 milhões) em subsídios para projectos que ajudaram a expandir o uso de lanternas solares no país. Os sistemas solares de iluminação foram instalados em casas por aldeias de todo o território como uma alternativa amiga do ambiente à incerta rede de fornecimento de energia eléctrica.

Como forma de reduzir a dependência do perigoso querosene, a Panasonic já doou também 1.000 lanternas à Tanzânia e 2.000 a comunidades pobres no Cambodja – feito que resultou em poupanças financeiras significativas, de acordo com os relatórios da empresa.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta