Será que esta luxuosa embalagem o convencerá a comer o que está no interior?

Uma embalagem de luxo com aspecto de conter paté refinado no interior. É o que esta lata aparenta ser à primeira vista. Mas, por vezes, as aparências iludem. No interior desta embalagem estão deliciosos e crocantes insectos.

O consumo de insectos é normal em vários países africanos e asiáticos, mas no ocidente, a prática é pouco comum e até considerada repugnante. E será possível mudar esta percepção de repugnante para delicioso? A Sexyfood pensa que tem a resposta: embalar os insectos em latas pretas e douradas com aspecto luxuoso.

A Sexyfood é uma empresa francesa que comercializa insectos verdadeiros dentro destas embalagens e quer revolucionar o mercado alimentar ao transformar estes animais em verdadeiros pitéus, à semelhança do caviar, patés ou caracóis.

A gama de embalagens da Sexyfood foi concebida para mascarar os insectos e comercializá-los como uma espécie de iguaria de luxo. Existe uma vasta gama de insectos comestíveis e cada embalagem tem o seu próprio número e design. No interior está um tipo específico de insecto com um molho especial. É possível escolher entre insectos aquáticos gigantes, gafanhotos, besouros-rinoceronte, minhocas, grilos, escorpiões-negros, rainhas de formigas-tecelão, escorpiões-amarelos, larvas de escaravelho, formigas-negras gigantes. Para os exploradores gastronómicos existem packs, como o selvagem, afrodisíaco e explorador.

“O conceito é muito simples: por que não surpreender os seus amigos com algo diferente, como uma sessão de prova de insectos? A Sexyfood disponibiliza todos os ingredientes para uma noite inesquecível. A aparência dos produtos – o logo, estilo e embalagem – ajuda a criar uma experiência especial. Uma embalagem luxuosa tem definitivamente um ar de mistério”, explica a empresa ao Inhabitat.

Os insectos são uma fonte altamente sustentável de nutrição, embora sejam depreciados no Ocidente e este conceito da Sexyfood pode ser um ponto de partida para esta concepção mudar.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta