Londres: quem vive junto de árvores toma menos antidepressivos

Londres: quem vive junto de árvores toma menos antidepressivos

Quem vive perto de zonas verdes ou rurais tem melhor qualidade de vida do que quem passa a sua vida no centro da cidade, rodeado de cimento e trânsito. Este lugar-comum dos tempos modernos foi agora comprovado por um estudo por uma equipa de investigadores britânicos, que publicou as conclusões no jornal Landscape and Urban Planning.

De acordo com o estudo, os londrinos que vivem perto de árvores – ou em ruas que têm árvores – tomam menos antidepressivos. “A nossa análise indica que os bairro de Londres com uma maior densidade de árvores por rua tendem a obter uma menor taxa de antidepressivos prescritos. Esta descoberta complementa outras pesquisas anteriores que sugerem os benefícios de ruas com árvores para a saúde mental”, explicam os investigadores ao CityLab.

Para o estudo, aos investigadores reuniram dados em prescrições de antidepressivos em Londres durante 2009 e 2010, e compararam as moradas das receitas com os locais onde existem árvores – o objectivo foi perceber se existiam árvores nas ruas em questão, e não parques públicos na proximidade.

O estudo teve ainda em conta outras variáveis associadas à saúde, como o estatuto socioeconómico, desemprego, tabagismo e idade. Assim, por cada árvore por quilómetro de rua, os pesquisadores encontraram menos 1,38 prescrições de antidepressivos na população. Uma ligação que já se desconfiava, mas que agora está comprovada cientificamente.

Foto: Kosala Bandara / Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores